Tolerância zero? Que nada!

31.1.07

A dura realidade de Parauapebas

Reportagem interessante que li no sítio Repórter Brasil.

A mineração da maior jazida de minério de ferro de alto teor, com mais de 2 bilhões de
toneladas, na Serra dos Carajás, pela Companhia Vale do Rio Doce (CVRD), traz consequências duras para a cidade de Parauapebas (PA).

Um detaque meu:

Não muito distante da pobreza absoluta da periferia de Parauapebas, onde se amontoam migrantes miseráveis, encontra-se o núcleo urbano de Carajás, construído para abrigar os funcionários mais antigos e de alta patente da CVRD. A 25 quilômetros da portaria da
Floresta Nacional dos Carajás, que dá acesso às minas de ferro e por onde só se passa com autorização, fica um verdadeiro enclave de Primeiro Mundo no meio da Amazônia, com clube poliesportivo, restaurantes refinados e cinema onde é possível assistir aos mais recentes lançamentos do mercado. No vilarejo de 5 mil moradores, as 1.274 casas não têm muro e foram construídas seguindo o mesmo padrão arquitetônico, à semelhança de um subúrbio norte-americano. "É um apartheid. A Vale retira boa parte de sua riqueza de Parauapebas, mas não retribui com investimentos em saúde, educação e saneamento para a maioria do povo. Ela paga seus impostos, porém isso é muito pouco perto dos problemas que a mineração gera", critica Fontana.



De acordo com a matéria, Parauapebas está crescendo num ritmo aceleradíssimo e desordenado.
Cinquenta novas famílias por semana, como diz a reportagem, chegam na cidade fugindo da
pobreza e com um sonho de melhor. E acabam encontrando uma situação deplorável, onde,
segundo o IBGE, 90 habitantes moram.
Segundo o poder público local, o número de habitantes é de 140 mil.
Sem infra-estrutura, a cidade vai se transformando num caos. Falta saneamento básico,
segurança e educação. Como disse o poder público local, somente 13% das moradias da cidade possuem saneamento básico e a água é somente para a metade da população. A segurança da cidade é feita por 35 policiais (o que dá um número de 4000 pessoas por policial).
A CVRD investe em seu "centro urbano", como mostrado na matéria, e faz pouquíssimos
investimentos na cidade onde suga as riquezas minerais.
Paga os impostos e acha que com isso cumpre seu dever com a cidade, mas investir em um
crescimento social parece não atrair a CVRD.
A criação do Senai em Parauapebas, pela CVRD, é um investimento, mas que também visa atender suas necessidades. E, na minha opinião, formar os locais para obter mão-de-obra mais barata.
A CVRD é a responsável pelo crescimento desordenado da cidade. E com isso, deveria investir mais no social, até mesmo com parcerias com o poder público local,
realizando obras de saneamento, saúde, educação e cultura.

Coloco aqui um trecho de uma matéria retirada do sítio A Vale É Nossa:

E como ficou a situação após a privatização da Vale?
Lermen. Os recursos oriundos da grande Companhia, direta ou indiretamente através de suas terceirizadas, não são suficientes para disponibilizar equipamentos públicos a fim de dar mais dignidade à população. O município arca com as despesas nas áreas de saúde, educação, saneamento, para mais de 90% dos trabalhadores que produzem esta fabulosa riqueza que dá lucros astronômicos a CVRD. Por exemplo: no ano passado construímos 540 casas populares com recursos próprios. Mas não dá nem para o começo, sendo que temos uma previsão de fazer mais 1500. Na área de saneamento estamos implantando um projeto de tratamento de água no valor de R$ 15.000.000,00 (recursos próprios). Precisamos construir pelo menos 12 escolas de 12 salas para amenizar a situação. Com a privatização da CVRD, a sensação é a de que a Companhia lava suas mãos em relação ao nosso povo e ao desenvolvimento local. Nenhum equipamento público construído nos últimos anos tem investimento direto da CVRD. O sentimento diário ao ver a locomotiva de 200 vagões indo embora entre 15 e 20 vezes, é de que no futuro podemos estar condenados a um desastre parecido com Serra do Navio (Amapá), nos deixa indignados. Em breve serão por ano 100 milhões de toneladas de minério de ferro indo sem nenhum beneficiamento produzir riqueza e empregos na Europa, Ásia, América do Norte... Enquanto isso o nosso povo pisará no chão da grande província de Carajás e seus pés empoeirados de minério, caminharão para um futuro de incertezas.



Para não desmerecer a CVRD, coloco aqui o link dos servoços prestados pela mesma.
http://www.helmar.com.br/servicos_prestados.htm

Mas deixo claro que, em Paraupebas, que é meu enfoque nessa postagem, o único investimento que encontrei foi o seguinte: (fora o Senai)

ÁGUA PARAUAPEBAS
Projeto de Abastecimento de Água para a cidade de Parauapebas CVRD/CARAJÁS, constituído de Captação sobre balsa flutuante, Adutora, Clorador e Rede de Distribuição.
Cliente : EPC - Engenharia, Projeto e Consultoria Ltda.



Aproveitando, coloco aqui outra parte da matéria do sítio Repórter Brasil que achei interessante:

Há ainda um fato no mínimo curioso decorrente da presença da companhia no município. Nos últimos três anos, a Polícia Federal realizou uma série de operações que culminaram com a prisão de diversos membros de uma quadrilha acusada do desvio de milhões de reais de contas bancárias. Por meio de um programa de computador desenvolvido por um engenheiro demitido pela CVRD, eles rastreavam as senhas eletrônicas de correntistas de todo o país que faziam movimentações financeiras pela internet. Cidade de contrastes, Parauapebas recebeu o inusitado título de capital nacional dos hackers. Tudo por causa da mineração.


Chega a ser hilário. Parauapebas, capital nacional dos hackers.

8 Comments:

  • Concordo com você. Tolerância Zero, que nada! Esta no hora de arregaçarmos as mangas e partirmos pra luta. Como dizia o reporte Lucio Flavio Pinto: "Vão-se os minérios e ficam os buracos" e os problemas também. Será que vamos terminar como Serra do Navio em Macapá, uma cidade fantasma? a hora de pedir investimentos e industrialização destes minérios aqui é AGORA.

    By Anonymous Nádia Santos, at 3:05 PM  

  • olá,sou de parauapebas mais moro ha 12 anos em são paulo capital.venho acompanhando o crescimento acelerado deta cidade e vejo que a violencia cresce junto mais acelerada ainda.isto me dá medo,pois do jeito que as coisas estão indo daqui ha um certo tempo não vai ter pra ninguem,tó para os ladrões.fui assaltado na frente da casa da minha amiga na Av: jk e me levaram meu celular.amo essa cidade mais hoje morro de medo de voltar a morar nela,ela está ficando pior que qualquer capital.abraços a todos.
    v.s.s

    By Anonymous Anônimo, at 3:38 PM  

  • Olá meus queridos, gostaria muito de fazer uma observação,o que a prefeitura da Cidade de Parauapebas está fazendo com as arrecadações do município? Tanto da Vale quanto dos outros, um projeto falado por Darci em sua campanha a candidatura ele resaltou que cada centavo público seria divulgado no site da prefeitura em prestação de contas, esse ícone no site nunca existiu, enquanto todos vcs acreditam que essa empresa fecha os olhos para a cidade, quem está olhando para as pessoas que tomam conta do dinheiro arrecadado? Vejo muitos da prefeitura gente que até pouco tempo atrás não tinha absolutamente nada e hj tem muito dinheiro, só com salário de servidor público? duvido muito.

    By Anonymous Anônimo, at 11:36 PM  

  • Olá.

    Minha intenção aqui é mostrar o que a Vale investe na cidade.
    Será que tudo o que ela investe vale a pena em relação ao desequilíbrio e impacto ambiental que causa?
    Saneamento básico e educação (como disse no post, voltado para seus próprios trabalhadores e uma pequena parcela da população local, visando geração de mão-de-obra para a própria Vale) não amenizam o fator degradação da cidade.
    Por mais controlada que seja essa exploração mineral (que acredito não ser o caso de Parauapebas, pelo que já li), sempre causa danos e, no mínimo, um grande retorno deveria ser feito à cidade, não como bens tangíveis, mas sim em pesadíssimos projetos de re-estruturação e preservação ambiental.

    Prefeituras corruptas existem em todos os lugares. Não convém julgar uma coisa que já está julgada.

    Abraços.

    By Anonymous Pérsio, at 7:33 AM  

  • olá, no meu ponto de vista a CVRD traz renda e crescimento p/ cidade parauapebas (mesmo sem ter obrigação disso, contudo, ela é uma empresa privada!!!), vejo que maioria das pessoas acham que a VALE é a responsável pelos problemas da cidade tais como: saneamento básico, segurança, programas de cultura e etc... mas não é bem assim quem deve realmente ser cobrado por tudo isso é o governo local que não cumpre com suas obrigações e não honram com seus compromissos.
    Onde há muita riqueza e pouca organização acontece pouco investimento em saúde, segurança, transporte público... vejam por exemplo as cidades do Rio de Janeiro e São Paulo.

    By Anonymous Anônimo, at 12:53 AM  

  • Quero morar na cidade de Paraupebas...saberei superar os mais terriveis obstáculos...meu unico amor vive la!

    By Anonymous Anônimo, at 8:35 PM  

  • Olá, moro na cidade a 4 anos,acho que só falta um pouco de lazer, na cidade,para a familia.os que ja tem tão manjado

    By Anonymous Anônimo, at 7:30 PM  

  • Você esta errado em dizer em botar a culpa na Vale S.A., a final de contas investimentos públicos são responsabilidade do município.
    A Vale S.A. da para o Parauapebas anualmente 6,28 bilhão o que por ano da uma quantia de de mais de 40000 em pib per capta.
    Acho que deveriam saber direcionar melhor as critica pois esse pib per capita é nível europeu, mais com uma administração corrompida a cidade não sai do lugar

    By Anonymous Anônimo, at 9:36 PM  

Postar um comentário

<< Home